Como Interpretar Análises de Solo
Clique na Imagem e Aprenda Como Uma Boa Interpretação de Análise de Solo Pode Transformar o Seu Negócio

Você sabe o que é análise de solo? Você já utiliza alguma técnica de manejo de solo ou deixa sua produção contar com a sorte?

Talvez você já tenha tido a sensação de que determinado solo poderia produzir muito mais do que produziu.

Isso se dá muitas vezes pela falta de algum nutriente no solo e na planta.

Todavia, muitos solos não utilizam todo o potencial de produção que deveriam, simplesmente pela falta de conhecimento e/ou não utilização de algumas simples técnicas.

Certamente em algum momento da sua vida você já recebeu uma análise de solo e ficou se perguntando o que aqueles valores querem dizer, não é mesmo?

Nas últimas décadas, as análises de solo se tornaram cada vez mais complexas.

O que as deixaram praticamente impossíveis de interpretar na primeira olhada.

São tantos os micros e macronutrientes que, muitas vezes é difícil ter certeza se aquele valor está abaixo ou acima do esperado.

Pois bem, estamos aqui para lhe ajudar de uma vez por todas a ter mais confiança na hora de interpretar as análises de solo.

Mas lembre-se, cada cultura agrícola tem seus níveis ótimos de adubação.

Por isso, para fins didáticos, vamos considerar que a cultura em questão é a soja e vamos dividir a interpretação da análise de solo em: pH, macro e micronutrientes.

  • pH: mensura o grau de acidez, neutralidade ou alcalinidade de uma amostra de solo.
  • Macronutrientes: são aqueles requeridos pelas plantas em maior quantidade.
  • Micronutrientes: representam os nutrientes absorvidos em menor quantidade pelas plantas.

pH para estimar a necessidade de calagem

pH do Solo, Macro e Micro Nutrientes
Aprenda Por que Esses Simples Números Podem Fazer Uma Mega Diferença na Produtividade do seu Negócio

É a partir dos valores de pH que nós podemos estimar a necessidade de calagem de uma área ou talhão.

De modo geral, os solos brasileiros são geralmente ácidos, então provavelmente este será um importante item a ser considerado na sua interpretação da análise de solo.

Mas, não se esqueça que, quanto menor o pH do solo, maior a sua acidez.

No caso da soja, o ideal é que o pH esteja em torno de 6.

Sendo assim, se no seu laudo o valor do pH for menor do que 6, você já pode iniciar os cálculos para a aquisição do calcário.

Macronutrientes

Os macronutrientes presentes nas análises de solo são Nitrogênio (N), Fosforo (P), Potássio (K), Cálcio (Ca), Magnésio (Mg) e Enxofre (S).

Bom seria se eles viessem assim, separadinhos e simples de serem estimados, né?

Entretanto, a nossa realidade é outra, então vamos começar.

Os teores de N são estimados a partir do teor ou a porcentagem de Matéria Orgânica (MO).

Para a cultura da soja, não são realizadas adubações nitrogenadas, visto que a planta consegue fixar o N atmosférico.

Entretanto, para outras culturas podemos considerar que valores de:

MO < 2,5% = baixo

MO 2,6 a 5% = médio

MO > 5% = alto

Para a interpretação dos valores de P e K, deve-se levar em consideração os teores de argila do solo.

Sendo assim, quanto mais argiloso o solo, maior a necessidade de adubação.

O P é um macronutriente que merece atenção, pois é pouco móvel no solo e, além de tudo, tem a sua disponibilidade alterada em função do pH.

Contudo, não adianta fazer a interpretação de uma análise de solo considerando apenas pouco itens da tabela.

De modo geral, considera-se que teores de 6 a 12 µg dm-3, extraído por Melich, podem ser considerados valores médios para o P.

Para o K, o seu valor médio é de 0,1 a 0,3 cmolc kg-1. Ao passo que o Mg trocável atribui-se um valor médio de 0,4 a 0,8 cmolc dm-3 de solo.

Já a interpretação das análises de solo para determinação da necessidade de S, é bem mais simples.

Entretanto, o teor de S precisa ser maior do que 10 mg/dm3 para ser considerado adequado a soja.

Se o valor estiver abaixo, recomenda-se aplicação de 20 kg ha-1 de S.

Micronutrientes

Os micronutrientes mais comumente encontrados nas análises de solo são:

  • Cobre (Cu): é um micronutriente absorvido em pouca quantidade pelas plantas. Por isso, o valor ideal situa-se entre 0,3 e 0,8 mg dm-3.
  • Ferro (Fe): este elemento é encontrado com facilidade nos solos brasileiros, portanto, raramente as interpretações de análises de solo indicarão a necessidade de adubações com Fe.

Mesmo assim, as pesquisas indicam que, os valores ótimos deste elemento no solo são de 5 a 12 mg dm-3.

  • Manganês (Mn): a necessidade das plantas por este micronutriente também é baixa, por isso, os valores ótimos situam-se na faixa de 1,3 a 5 mg dm-3.
  • Zinco (Zn): este micronutriente é um gerador de discórdia nas interpretações de análises de solo.

Pois alguns pesquisadores indicam que, a sua faixa ótima no solo esteja situada entre 0,6 e 1,2 mg/dm3, ao passo que outros consideram valores bem maiores, variando de 1,5 a 3 mg dm-3.

  • Boro (B): a faixa adequada para este nutriente é de 21 a 60 mg dm-3. Valores menores que 20 indicam a necessidade de complementação com fontes de B.
  • Molibdênio (Mo): é um dos micronutrientes mais importantes para a cultura da soja.

Entretanto, muitas vezes os profissionais responsáveis pela interpretação das análises do solo deixam este nutriente de lado.

O Mo é estimado em % e, seus valores ótimos variam de 1 a 3%, dependendo do teor de argila presente no solo.

Interpretação de Análise de Solo Passo a Passo
Clique na Imagem e Saiba Como Interpretar Qualquer Análise de Solo Passo a Passo

Conclusão

Em resumo, para que a interpretação da análise de solo seja bem-feita, nenhum nutriente pode ser deixado de lado.

Além disso, você deve considerar que, a sua interpretação vai depender também do conhecimento técnico sobre a cultura que se deseja adubar.

Você sabia que existe uma maneira de aumentar a sua produção, investindo menos e economizando seu valioso dinheiro?

Você pode aprender a tratar solos como ninguém, o que te ajudará e muito a potencializar seus resultados:

  • Aprenda Conceitos físicos e químicos do solo;
  • Entenda os Macronutrientes e micronutrientes;
  • Aprenda técnicas de interpretação e análise de solos;
  • Como fazer adubação de forma precisa e didática;
  • Como utilizar a calagem e gessagem.

Então preste bastante atenção agora. Se você é produtor rural, estudante ou profissional de agronomia, e não tem segurança em interpretar análises de solos, você tem duas opções.

A primeira, é continuar fazendo de qualquer jeito, no entanto, você sabe que não funciona muito bem, não é mesmo?

A segunda é aprender um método garantido e passo-a-passo que vai te ajudar a aprender a fazer a correta interpretação de análise de solo.

Além disso, você aprenderá a fazer uma correta recomendação de adubação, calagem e gessagem de forma precisa e didática.

Sabendo tudo isso, você irá aumentar e muito a produtividade de sua propriedade. Animado? Se sim, escolha abaixo a melhor opção para você.

SIM, Quero Aprender Como Interpretar Analises de Solos da Forma Correta e Dobrar Meus Ganhos e Minha Produtividade Agora Mesmo!

Não, já sei como fazer isso, e não me interesso em mais orientações.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!